ELA

Ele viu-a ali.
Trocaram olhares, trocaram sonhos, trocaram sentimentos, sentimentos que só por si sós não necessitam de palavras, ele viu-a ali parada na meia luz daquele entardecer, a lua cheia levantava-se já na linha do horizonte.
Ele afundou-se na profundidade daquele olhar e enquanto se deixava enfeitiçar deixou que a paz invadisse o seu corpo.
O sentimento de antecipação crescia, as mãos suavam, o corpo tremia de excitação, tudo o que necessitava era de um beijo, um só beijo para curar toda aquela ânsia todo aquele querer.
O tempo parou quando a mão dela tocou na sua face, um novo mundo eclodiu da paixão que se libertou quando os seus lábios tocaram os dele, aquele abraço tornou-se dança, uma dança eterna num eterno salão de estrelas, as palavras saiam abafadas por risos de felicidade, os suspiros chocavam conscientes do prazer, quando finalmente os seus corpos se afastaram e os seus olhos se encontraram de novo, nenhum deles questionou quem era aquele estranho à sua frente, porque aquele sentimento era a prova que sempre sempre se haviam conhecido, quando ela sorriu, ele ternamente levou os seus lábios ao ouvido dela e num suave múrmurio disse:
"Por onde tens andado?"
Bruno Carvalho
Foto por: Ugly

Comentários

R disse…
Gostei sobretudo das ultimas frases.
Soaram muito bem :)

Mensagens populares deste blogue

RE(CANTOS)

A QUEDA