sexta-feira, 7 de agosto de 2009

SILÊNCIO

Habituei-me às tuas não respostas, habituei-me ao teu silêncio sem sentido, habituei-me a viver culpado, como se fosse meu o poder de mudar as coisas.
Arrastei-me nos dias, nas horas, na esperança que um dia tudo fosse diferente, acreditei que aquelas palavras tão docemente ditas eram de facto verdadeiras, mas não eram...
Perdi uma parte de mim enquanto estive aqui preso dentro desta cela imunda, rasguei tudo de bom que tinha para lutar por um sentimento que afinal de contas nunca foi mais do que uma mera brincadeira de crianças para ti.
Mantive-me à tona, na sombra, no silêncio, ingenuamente pensando que um dia irias precisar de mim, no entanto tudo o que fizeste foi ignorar-me, transformaste-me num farrapo, mas agora digo-te. Nunca mais!
Condenei o teu silêncio mas agora sei que nunca poderia ser de outra forma, pois não tens a coragem, não tens o que é preciso para dialogar, para ti as pessoas parecem peças inanimadas num tabuleiro de xadrez. Por vezes ali ficas sob a pele de vitima, ciente que alguém há-de notar, que terás de novo atenção, para te alimentares, para te ergueres e depois, quando estás bem, quando aparece alguém mais interessante, deitas os outros vazios e usados na sarjeta.
Digo-te, nunca mais!
Continua então cega aos que te fazem bem e segue o caminho fácil, podem parecer rosas mas têm espinhos.
Eu aqui continuarei crente no amor, crente na comunicação e na sinceridade.
Vives uma mentira pensando que é a maior verdade da tua vida.
Ridículo

Bruno Carvalho

Foto por: Tiago Krug

2 comentários:

dyphia disse...

este ja est� no meu cantinho tb

beijos

poteta disse...

:S um texto muito forte, que transparece sentimentos muito escuros mas ao mesmo tempo uma força enorme...

Que essa força se mantenha!
Crente no amor!

EXORCISMO

Exorciza os demónios da minha alma Os fantasmas inumanos que consomem a minha carne Liberta-me, perdoa-me. Exorciza o meu corpo com...