sexta-feira, 30 de outubro de 2009

OUTONO

Finalmente a folhas começam a cair e as cores de outono enchem a paisagem de bucólicas sensações...
Passamos a vida a lamentar o que não temos em vez de celebrar o que temos...
Que tal darmos um pouco de paz a nós próprios?
"Never seen such beauty..."

domingo, 25 de outubro de 2009

CRIMINAL MINDS

Bem este é um post para vos recomendar uma série. Criminal Minds, alguém por certo já viu, quem não viu que veja pois é uma excelnte série, é daquelas que à 5ª temporada ainda nos consegue manter colados à cadeira, com uma qualidade e com um conjunto de personagens que parece nunca nos deixar de surpreender.
Hotchner e a sua equipa copntinua por aí a perseguir as mentes mais inteligentes e perversas da humanidade, não deixe de ver.

Bruno Carvalho

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

VAZIO

E do sonho ficou a lembrança daquele beijo, como se de facto eu precisasse lembrar e não esquecer.
E desta sensação de vazio com a qual acordei tiro a conclusão quanto à inutilidade dos sonhos, porque teimam tanto eles nos manterem vivos quando a realidade nos mata aos poucos? No final bem sabemos qual dos dois mundos realmente conta, a morte é sempre a solução final...
Agora com o passar das horas a recordação tende a ficar ténue, eu tomo consciência porém que não desaparecerá, não enquanto os meus lábios continuarem a recordar aquele doce sabor, não enquanto o meu corpo continuar a lembrar aquela sensação de prazer, não enquanto as minhas mãos não perderem aquele ligeiro tremor de ansiedade e antecipação.
Tudo isto acontecerá com a firme certeza que na realidade os meus lábios nada provam a não ser a amargura do vazio, o meu corpo verga-se à dor não ao prazer e as minhas mãos continuam a agarrar o nada à minha frente, é tudo uma ilusão.
A dor retorna-me à realidade quando as pontas dos meus dedos se enterram profundamente na carne da palma das minhas mãos.

Bruno:Carvalho

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

RUSH

"I can't help but follow in spite of going insane
For I know you'll swallow the whole of my pain
I'm stepping out of the light to feel what darkness can sow
I stare at the dead red lie... just one glance and I know"...

sábado, 17 de outubro de 2009

CELEBRAÇÃO


Levado pelo texto incrivelmente sincero e sentido que uma grande amiga escreveu e percebendo que por vezes, outros escrevem de facto aquilo que pensamos, resolvi voltar a escrever para vos contar um pouco do meu dia de hoje.
Hoje de manhã acordei meio contrariado, dormi pouco, hoje é sábado era suposto ter dormido descontraidamente até tarde, no entanto tive que levar o meu pai a um funeral de uma pessoa desconhecida da qual não nutro nenhuma sentimento em especial.
Contrariado levantei-me, turvado pela minha certeza que estava a ser injustiçado disparatei a torto e a direito, sem pensar no quanto os meus pais já fizeram por mim, custava-me assim tanto acordar mais um dia cedo por eles? Não não custava.
A pena é só me aperceber destas verdades muito mais tarde, pois não faria muitas das minhas asneiras.
Depois de acordado e conformado que o estava definitivamente e depois de ter deixado o meu pai no tal funeral, preparei-me para enfrentar a dura seca de uma hora sem nada para fazer.
No entanto hoje ao contrário do quem tem sido nos últimos 11 anos da minha vida, optei pela acção à inacção.
Hoje é um dia de celebração, não porque tenha acontecido nada de trasncendente, mas pelo simples facto que estou vivo e de que nos vale estar vivo se não vivemos?
Por isso peguei no meu carro e fui a um supermercado, fui à secção de vinhos e comprei o melhor que lá estava (sim foi caro, mas que interessa isso?). E comprei-o. Porquê? Pelo simples facto de que por vezes simplesmente faz sentido celebrar simplesmente a vida. Quando celebramos com amigos então faz ainda mais sentido.
Esta noite estaremos reunidos os amigos do EnoMoinhos, diversos amigos entre tantos que tenho a bênção de possuir. Vamos celebrar a Barca Velha oferecida ao amigo Paulo Nuno no festejo do seu casamento, vamos celebrar o nascimento da pequena Mafalda, o primeiro rebento do amigo Carlos ou simplesmente vamos celebrar estarmos juntos e vivos, precisamos de mais algum motivo?
Por isso indiferente ao que aquele dinheiro me possa ou não fazer falta num futuro que pode nem sequer chegar, vou celebrar com os meus amigos o momento, o prazer, a hora, deixar fluir os minutos como se fossem os últimos.
E amanhã? Amanhã será um novo dia. No entanto vivo ainda neste sábado dia 17 de Outubro de 2009 e enquanto das colunas da minha aparelhagem brotam as emoções em forma de música dos Ghost Brigade eu sinto-me leve e vivo, simplesmente por aquele medo se ter dissipado um pouco e eu de facto ter-me apercebido que não estou tão só na multidão como pensava estar.
E sinto, afinal sinto que estou vivo e amo, acima de todos eu próprio depois aquelas pessoas que ao longo de uma vida ou simplesmente há um par de anos me acompanham nesta viagem, aquela que não me arrependo nada de ter feito.

Quanto ao texto da minha amiga Rute aqui fica o link http://sentidodosentir.blogspot.com/
vão ler, vale a pena!


Bruno:Carvalho


Foto por: Clara Sousa

LIGHT

I hear the storm inside me growing
Thundering oblivious thoughts
I feel the sweetness, taste de eternity once again
From my sleep I reborn to something different

Can you hear it?
A distant cry coming near now
A lament that silence tore apart
Now I'm a new me, another man in a another skin.

Ando now I see, now I know I'm the light
I always were the light that brought me from below
Now I know I'm my own god
My strength, my will, my power, my love

I mould the morning to a new understanding
Can you follow me? Do you deserve to follow?
If you can't feel you can't understand
Freedom is just a step away but you keep locked inside.

Bruno:Carvalho

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

PODER

Quem nos dá o direito de julgar os outros? O que nos faz pensar mais responsáveis que os outros? Como poderemos comparar o nosso sentido de responsabilidade que se desenvolve de acordo com os nosso valores individuais com o dos outros que têm valores e formas de viver completamente opostas?
Porque será que a maioria das pessoas precisa falar nas costas de outra para ser aceite ou por querer demonstrar que tem razão à frente de outros?
Estaremos assim tão embriagados pelo poder, que cegamos perante a justiça e o direito à liberdade alheia?
Por vezes nas mais diversas situações coloco-me na posição daqueles que considero que falham naquilo ou noutra coisa, ponho-me na sua pele para julgar o meu próprio poder de decisão, será que faria melhor, pior ou igual?
Não faz parte da nossa (pouca) beleza como seres humanos o poder de decidir de forma diferente em situações idênticas?
Nunca poderemos julgar porque vivemos em sistemas de valores e crenças bastante diferentes.
As decisões são diferentes mas não significa que sejam umas certas e as outras erradas.
Vivo acorrentado a uma certa necessidade de aprovação. Por vezes penso como seria provar a sensação de me aprovar a mim mesmo, por vezes provo esse agridoce sabor, poderei no entanto viver lá, longe, sozinho?
No outro dia apercebi-me de como com o recurso à simples força de vontade posso moldar energias e aquilo que me rodeia.
Posso moldar o mundo como barro, para eu caber nele, para tirar dele uma pequena satisfação de poder, embriagar-me, sem pretensões divinas.
Convenhamos no entanto esclarecer que me apercebi disso recorrendo à manipulação maioritariamente de energias e forças negativas, essa sensação deu-me aquele pequeno gosto indefinível na boca, poder mas depois temor, qual o direito de interferir nos outros para proveito próprio?
Daí vem a minha cada vez mais categórica sensação que somos todos sem excepção uma mole de egoístas egocêntricos.
Olho por olho, dente por dente, é a nova fé, é o novo dogma.
No entanto continuamos conscientemente convencidos que de facto possuímos alguma bondade, qualquer que seja a definição que cada um dá a essa palavra marcada a ferro e fogo e sabor a sangue no nosso âmago desalentado ao longo de dois mil anos de História.
Quem nos amparará quando nos aperceber-mos que não existe mais nada a não ser o vazio?

Bruno:Carvalho
2009

terça-feira, 6 de outubro de 2009

ETERNIDADE

Enquanto as minhas palavras não saem mais inspirada e a minha não sai do pântano onde parece estar, vou deixar-vos palavras de outros.
É a letra de uma música de uma banda portuguesa chamada Hyubris que vos convido a conhecer, esta é a terceira faixa do seu segundo álbum recém editado, chamado "Forja".
Infelizmente não achei a música para aqui colocar mas deixo-vos o link para o myspace da banda


Hyubris
"Eternidade"

Mistério... Que paira no ar
Serás Tu?
Quem me chama
E que me encanta!

Olhos, não te vêem
E a carne não te sente

Onde estás?
Eternidade!
Vem buscar-me
Com o teu manto!

Já sinto, os teus braços,
As brumas no cabelo
O respirar de novo
Contigo...

Já sinto, os teus braços,
As brumas no cabelo
O respirar de novo
Contigo...

Vê mais longe a gaivota
Que voa mais alto.

Já sinto, os teus braços,
As brumas no cabelo
O respirar de novo
Contigo...

Já sinto, os teus braços,
As brumas no cabelo
O respirar de novo
Contigo...

Venham gaivotas...
Tempestades
Que por ti
Morrerei...

Para poder nascer de novo...
Para poder nascer de novo...

Para poder nascer de novo...
Para poder nascer de novo.
..

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

ANÓNIMO


Com um sentimento de solidão sobre os ombros, parti sob a chuva de Outono, certo que estava vivo, certo que há muito fiz paz comigo sem no entanto me aperceber...
Vida há só uma, porque teimo em deixa-lá passar despercebida?

Bruno:Carvalho
2009

foto por: Pedro Soares


quinta-feira, 1 de outubro de 2009

EXORCISMO

Exorciza os demónios da minha alma Os fantasmas inumanos que consomem a minha carne Liberta-me, perdoa-me. Exorciza o meu corpo com...