quinta-feira, 12 de novembro de 2009

ENCRUZILHADAS


Quantas vezes esperamos ter tomado o caminho certo na última encruzilhada? Quantas vezes sentimos o ter feito, mas logo surge outra para nos negar o prazer da vitória?
Por vezes sentimos paz à nossa volta, descobrimos que a sentimos apenas porque dentro de nós a guerra nunca terminou, nem vai terminar.
Continuamos vinculados às nossas promessas vãs, demasiados embrenhados no nosso vão orgulho de sermos mais do que seres ávidos por afecto.
Animais (ir)racionais, esfomeados de conforto, aceitação, aprovação.
Demasiado cobardes para espetar a espada no coração quando a razão a isso nos obriga...
Continuamos a tropeçar nas encruzilhadas inconscientes que isso nos é mais confortável, poder ter dúvidas quanto ao caminho a seguir, ignorando que o caminho certo está mesmo defronte os nosso letárgicos olhos.
O tempo passa e aqui continuamos em busca da resolução imaginária, queremos atingir o estado de conclusão mas não temos forças para isso, por isso debitamos palavras ao vento, à espera de do outro lado do abismo alguém já tenha conseguido subir e as apanhe.
Sentimos, mas o que nos traz de bom isso?
Agarrados a ilusões continuamos a pairar acima da realidade, como se isso fosse bom, como se sonhar fosse de facto algo de transcendente e necessário.
Entretanto desta vez escolho o caminho da esquerda, sempre dizem que é dos dois o mais iluminado e sábio.
Até à próxima ilusão...

Bruno:Carvalho

Foto por: Sara Pereira

1 comentário:

Araúja Kodomo disse...

Aqui está um belo texto, gostei bastante! ***

EXORCISMO

Exorciza os demónios da minha alma Os fantasmas inumanos que consomem a minha carne Liberta-me, perdoa-me. Exorciza o meu corpo com...