domingo, 1 de novembro de 2009

ESPERA

Nunca ninguém descobriu e explicou o significado do amor.
Se alguém o já tivesse feito talvez tudo finalmente fizesse sentido.
Porque é que farpa após farpa, ferida após ferida, insistentemente continuamos a amar apesar de perceber que tudo é irracional e que é algo que nos destrói?
Porque é que depois de um grande silêncio, quando pensamos que estamos livres e que tudo passou como tudo passa na vida, basta uma palavra para trazer de novo esse sentimento?
Hoje passe a tarde à chuva, pouco preocupado com o facto simplesmente deixei-me estar, como se toda aquela chuva limpasse de mim todo e qualquer sentimento, fizesse parar o bater acelerado do coração, pudesse travar as recordações e as estranhas sensações que as acompanham.
Bastou quatro palavras, palavras banais que agora friamente analiso, chegando como sempre à conclusão que me estou a iludir, que todo este sentimento é mentira, uma ilusão montada pelo meu espírito carente daquele conforto há demasiados anos ansiado.
A noite de Samhain trouxe a chuva, a roda do tempo inicia novo ciclo rumo à luz.
Eu continuarei entretido nas minhas cogitações filosóficas, à espera, resta-me esperar que tudo faça sentido.


Bruno:Carvalho









3 comentários:

Anónimo disse...

Parabens Bruno...és aquela maquina...felicidades para ti, porque tu mereçes isso.
Abraço amigo e sentido
Jorge Penela..Força para os Moinhos.

dyphia disse...

no amor nada faz sentido mas tudo é tão intensamente sentido que se torna confuso, doloroso e deontio. tentamos jugir, mas ele volta sempre ao virar da esquina, se pelo menos fosse um novo amor, mas infelizmente é sempre o mesmo.

e como disseram os Madredeus num dos seus brilhantes temas "anseio pela visão final..."

Araúja Kodomo disse...

Obrigada!
Belas palavras...
***

DON'T BOTHER

Don't mind me, just wandering around drawing circles in the air Don't mind me, nothingness is just a state of mind Don't bo...