domingo, 10 de janeiro de 2010

ASAS


O silêncio.

Por vezes perco-me no silêncio e nas suas obscuras ruelas formadas por gritos sufocados, por desejos aprisionados.
Sento-me no silêncio e dou por mim a sonhar em pé. Reflexões do que sou por cima de reflexões do que poderei ser.
Por vezes fico completamente surpreendido pelo ser humano, porque buscamos nós felicidade, quando geralmente ela aparece nunca a reconhecemos? Geralmente vem sempre embrulhada num medo sufocante como uma papel pardo e rasgado embrulha um punhado de amendoins...
Ficamos tolhidos por esse sentimento, cabisbaixos e perdidos, como se o passado pudesse ditar o que somos agora...
Condicionados pelo passado vivemos aprisionados num presente, assim vivendo simplesmente não o fazemos, pois de um presente assim nunca um futuro será criado.
Por vezes vejo muito além do que existe, tento ver além de tudo para continuar a confiar que as nossas decisões e julgamentos podem moldar o que somos e o que nos rodeia.
Por alguma razão continuo a cometer os meus erros e como todo o ser humano tenho também os meus momentos de dúvida. Mais um ano que passa, mais um que bem espremido não dá muito mais sumo que o anterior...
É muito bonito falar-se que se vive o momento, menos bonito é perceber que não o fazemos nem nunca o faremos.
Medo, somos apenas uma soma de medos.
Como se sofrer por um sentimento como o amor fosse algo de novo nas nossas vidas.

Protegemos-nos, matamos o sentimento de inicio assim nunca teremos de nos sujeitar ao sentimento de perda, à dor, ao abandono, ser-nos sempre uma posição confortável e facilitista...
De que nos queixamos então?
Da solidão? Porquê?
Se tudo o que queremos é estar sós e imunes a qualquer dor e desilusão.
Egoístas é o que somos, egoístas e fracos...
Aqui me incluo eu em primeiro lugar, pois de presunção não é formada a minha carapaça...
Aquilo que sinto é o que sou, hoje, neste momento, neste dia, neste local...
Superei a parte do medo, preparando-me para o pior e esperando o melhor.
Não posso ficar mais escondido, aqui fico pacientemente à espera das asas que me prometeste...

Bruno:Carvalho

Foto por: goncalopp

1 comentário:

Abelha Charlatona disse...

Digo te ja que gostava mais do teu blog como estava antes xD
mas se tu gostas ;) é o que importa lol

o ser humano é engraçado, somos sempre o que nao somos, queremos o que nao temos, sentimos tanto e comparado com os outros não é nada.
é igual :)

EXORCISMO

Exorciza os demónios da minha alma Os fantasmas inumanos que consomem a minha carne Liberta-me, perdoa-me. Exorciza o meu corpo com...