DESEJO NA NOITE


Ontem regressei ao campo dos sonhos e das impossibilidades.
Enquanto as minhas mãos percorriam o meu corpo pensando que eram as tuas, enquanto beijava a almofada imaginando que eram os teus lábios, enquanto o meu corpo se moldava ao teu invisível no espaço vazio a meu lado.
O meu corpo movia-se para além de qualquer sentimento mundano.
Sentia aquela fome, aquela ânsia de te querer em mim, uma vez mais, como se aqueles dias tão recentes tivessem sido há muito tempo.
Enquanto me degladiava corpo a corpo com a tua ausência, à beira do abismo do prazer, desejei por um momento poder vender a minha alma para naquele momento te ter ali, poder com paixão arrancar as tuas roupas, beijar com intensidade cada pedaço da tua pele.
Mas aqueles momentos eram apenas fruto de sonhos e desejos enterrados pela distância.
Enquanto o meu corpo irrompia em espasmos de prazer, gritei em surdina o teu nome para o silêncio daquele quarto vazio e frio, fechei os olhos buscando a paz necessária para adormecer, no entanto o sono não veio e com o passar dos minutos veio de novo a loucura da saudade e da impossibilidade de fundir em ti o meu corpo, mais uma vez, naquela torrente desenfreada de um fogo perene.

Bruno:Carvalho

Comentários

Isso tudo são saudades ? :)

Só estou a dar um ar da minha graça:P

Mensagens populares deste blogue

RE(CANTOS)

A QUEDA