sábado, 17 de julho de 2010

NORTE (parte I)

O som das ondas a quebrar no casco do barco transportou-a para aquela dimensão, aquela dimensão que tão bem conhecia e amava.
O canal estava particularmente frio naquele dia do inicio de Agosto, aquela terra nunca havia sido quente, mas naquele dia parecia que o frio tentava congelar todos os que teimavam em circular no exterior.
Agarrada com as mãos protegidas pelas luvas dadas pela avó Maria à grade da pequena embarcação, Sofia olhava os fiordes envoltos na neblina matinal, os seus topos gelados mostravam a eternidade do Inverno por aquelas paragens.
Havia saído de Portugal por causa do calor, sempre havia odiado o Verão, desde infância que aquela estação em particular lhe causava repulsa , toda aquela peganhenta mole humana cheia de suor, aquela gente vazia disfarçada de sorrisos leves estendidas em areais outrora belos, agora apenas comuns...
Havia iniciado o novo romance inconscientemente, estava ainda no Inverno rigoroso de Janeiro em Lisboa, não sabia bem que rumo tomar, mas sabia que havia um rumo e esse estava bem longe das escaldantes ruas da capital portuguesa nesta altura do ano.
A Noruega seria a primeira paragem no seu périplo pela Escandinávia sonhava também ir à Islândia, e cada vez que colocava o MP3 e ouvia Sigur Rós esse desejo agudizava-se, mas esse sonho teria que ser realizado noutra altura.
Chegou ao porto de Trondheim, ao longe as neves eternas saudaram-na com uma brisa fria, ela encheu os pulmões de ar e deu o primeiro passo na sua nova dimensão. Enquanto percorria as ruas daquela cidade, visões do rumo a tomar iam e vinham, nos últimos anos a sua vida tinha sido intensamente desinteressante, acima de tudo demasiado confusa e cheia de pára e arranca, sentira-se como um automóvel parado na fila para Ponte Vasco da Gama, ao acorrer-lhe aquele pensamento e ao imaginar os 35º graus que agora lá se fariam sentir, arrepiou-se e enjoou-se.
Bem, a Noruega era o que pensava dela, um país em comunhão com a sua tradição, o clima era frio mas as suas pessoas carregavam um fogo eterno dentro de sim, notavam-se ser orgulhosas das suas raízes, os espaços limpos e asseados fizeram-na sentir num outro mundo, sorriu sem se aperceber que começara a tomar notas mentais para o seu recém nascido projecto.
Pensava que a língua seria um obstáculo difícil de ultrapassar, mas todos os seus medos se esfumaram quando entrou num pequeno bar na zona histórica de Trondheim, o calor acolheu-a de braços abertos, tirou as luvas e pediu um café no seu inglês perfeito, foi atendida por um não menos perfeito inglês, mas aquele vinha envolvido em veludo, um veludo que a fez arrepiar, no entanto ali não estava frio.
À sua frente estava mais um mito desfeito, que as mulheres nórdicas eram todas louras e altas, ali estava um perfeito exemplo de como assim não era, a empregada era mais ao menos da sua altura, uns meros um metro e setenta, mas o que lhe poderia faltar em altura sobrava-lhe sem dúvida em beleza, não aquela beleza estonteante das revistas, mas aquela beleza inexplicável que por vezes sentíamos dificuldade em descrever.
O seu cabelo ondulado era de um negro quase brilhante, os seus olhos azuis eram maravilhosos lagos na sua face meio pálida, não a palidez doente, mas uma palidez arrepiantemente sexy.
O corpo tremeu-lhe de novo quando ela sorriu após ter-lhe entregue o café.
Sabia que aquela seria muito mais do que uma viagem espiritual, mais que uma viagem à procura do rumo, da inspiração, naquele momento o sorriso aberto de Anna dava-lhe toda essa certeza.
Bruno:Carvalho
2010
-------------------------------------------------------------------------------------------------
MUSIC ZONE
Aí estão eles de novo, os brilhantes Apocalyptica, Agosto marca a estreia do novo álbum "7th Symphony" como single de avanço propõem esta excelente colaboração com Gavin Rossdale (ex Bush), e o que é a música? è tudo isto, paixão, química, energia, emoção e quando se juntam no mesmo sitio almas brilhantes surgem naturalmente canções brilhantes, aqui fica mais esta pérola a brilhar num mar demasiado poluído.
"END OF ME"
Apocalyptica ft. Gavin Rossdale

2 comentários:

Araúja Kodomo disse...

Uau!!! Música e texto perfeitos :)

Ayl disse...

Eeeeeelá!!
lol
Gostei muito do texto!!
E a música é soberba!
Para mim é Gavin Rossdale a vocalista dos Apocalyptica já!
;)

DON'T BOTHER

Don't mind me, just wandering around drawing circles in the air Don't mind me, nothingness is just a state of mind Don't bo...