quarta-feira, 18 de agosto de 2010

SAUDADES

Queria tanto dizer-lhe o que era aquele fogo que tanto ardia, queria explicar-lhe que aquela filosofia, que aquela apatia não era mais do que um fantasia num mundo sem cor.
Queria tanto estar com ela, dentro dela, lá onde o calor se funde e os medos são amordaçados, queria tanto dormir sobre o seu peito, adormecer com o batimento do seu coração, com o sentimento da sua emoção.
As mãos tremiam-lhe porém ao pôr no papel as palavras que não podiam ser escritas, apenas ditas, proferidas com AMOR para poderem curar feridas abertas. Sentia a empatia dissolver-se no silêncio mas queria poder agarrar o vazio e quebrar a distância.
E o FOGO ardia, lentamente um fogo fátuo, que do topo de um mastro iluminava a maré sombria, da escuridão se fazia um caminho, apenas um destino.
E a ÁGUA em breve se tornou companheira indesejada, enquanto o fogo tão intensamente ardia, a água fria despia-o de medos, uma purificação gelada, um abraço de arrepios para mostrar-lhe a cor da vida.
Da água renasceu, um baptismo de fogo e coragem, deu à costa, com raízes invadiu a TERRA, e dela fez casa, no solo fértil plantou o amor que há tanto guardava numa pequena lágrima perdida no canto do olho, fez-se rebento novo, depois jovem planta, por fim sábio tronco, abriu os seus ramos, espalhou sementes.
E na Primavera do tempo, quando novas flores emergiram da casca do Inverno, abriu asas e voou, pois de AR era feito, de ar e de sonhos, de beijos prometidos, de abraços amarrados.
Queria dizer-lhe que aquele lugar tão seu era verdadeiro, para além da mentira de um mundo vazio existia um lugar só deles.
Decidiu dizer-lhe.
Que os seus olhos eram mares, os seus lábios borboletas, as suas mãos papagaios de papel que desenhavam no seu corpo ondas de prazer.
E disse-lhe que a amava, e quanto a amava.
A distância obliterada pelo desejo fez-se sussurro no ouvido e o medo fez-se beijo.
Bruno:Carvalho
2010

2 comentários:

Araúja Kodomo disse...

Sempre com belos textos!
Selo para ti no blog :)

Narcolepsia disse...

Seasons keep changing, each one with it's kind of beauty

EXORCISMO

Exorciza os demónios da minha alma Os fantasmas inumanos que consomem a minha carne Liberta-me, perdoa-me. Exorciza o meu corpo com...