DEVANEIOS E AFINS

Hoje neste final de tarde, véspera de fim-de-semana para alguns eu incluído, venho opinar sobre algumas coisas que deviam ser banidas principalmente da sociedade portuguesa, pois de tão desnecessárias que são só devem causar mais prejuízos para o país em crise.
Deverão estar de certo já a notar alguma ironia nas minhas palavras e confirmo desde já que a utilizarei.
Uma das coisas a ser banida desde já era os caixotes do lixo, a maioria é feita de plástico, um material altamente poluente e como são praticamente inúteis pois para qualquer lado que olhamos só vemos lixo, atenção separo deste lixo o lixo humano (não produzido por, mas ele próprio), pois este lixo dava para mil e uma divagações diferentes, deviam ser considerados obsoletos e assim não ficávamos com qualquer peso de consciência ao atirarmos uma pastilha para o chão e ela se colar nos sapatos de uma velhinha de muletas.
Não sou decerto dono de toda a verdade mas de certeza que possuo uma pequena parte dela, por isso partamos para a próxima coisa.
Os piscas nos automóveis. Mais uma coisa que me parece completamente desnecessária, pois ninguém precisa de saber para onde vamos, é uma quebra de privacidade e porque acima de tudo as seguradoras estão lá para pagar, temos de contribuir activamente para a produtividade do país.
Outra coisa vulgarmente desnecessária são os passeios para peões, embora neste caso não defenda a total extinção pois alguns dos nossos fiéis animais de estimação e outros animais menos estimados os costumem utilizar, já o ser humano prefere a estrada, pura e dura, andam os Municípios a gastar milhões para nada e depois temos de dar trabalho também aos Bombeiros e Polícias, para justificarem o que ganham...
Aqui estão três coisas que poderiam ser facilmente eliminadas, estas advém da minha observação, não pretendo ofender ninguém, mas se o fizer também não é o fim do mundo, esse até estará para breve se continuarmos a consumir mais do que podemos criar.

Findo este texto, abandono a ironia e a sociedade em geral e parto para outros assuntos, mais pessoais neste caso.

Há pessoas que apesar de quando o dizemos parecer cliché e banal, nos marcam mesmo, não só a nossa vida mas nós próprios.
A sensação quando reencontramos alguém assim é decerto muito boa então quando é alguém que por uma razão ou outra perdemos contacto e se ausentou sem porém nunca abandonar a nossa vida a sensação quadriplica, porém só atinge o ponto máximo de êxtase quando nos apercebemos que o nível de bem estar  que recebemos dessa pessoa para além de ser recíproco é igualmente intenso.
Neste momento é que percebemos que apesar do que muita gente diz existem certas amizades que vencem tudo, mesmo o tempo, que resistem a quase tudo excepto a morte, mesmo que seja a um amor falhado ou não correspondido, a uma traição ou mentira.
Num qualquer ponto da nossa jornada para o fim, essa pessoa torna-se tão pertinente na nossa vida como o era no inicio da relação de amizade. É daqueles casos que o elástico estica, estica, torna-se fino e frágil, mas nunca rebenta e quando encolhe de novo vem com uma nova energia e intensidade.

Agora espaço para o momento musical do dia, que nada tem a ver com os textos atrás escritos, simplesmente após de um dia inteiro a consumir música de plástico sabe bem consumir algo saudável. Se a isto adicionarmos um toque de génio de um conjunto de músicos geniais, mais força ganha a razão de eles por este espaço aparecerem de novo.
De entre muitas escolhi esta, como poderia escolher qualquer uma das outras, do vasto reportório da banda norte-americana.

Bruno:Carvalho
2010

Ladies and Gentleman
Tool
Performing
"THE GRUDGE"



Bom fim de semana, sem abusos de preferência, se o fizerem porém certifiquem-se que não incomodam a liberdade de ninguém, pois ninguém tem culpa de sermos irresponsáveis.

Comentários

Araúja Kodomo disse…
Post extremamente interessante, muito bem escrito ;)

Mensagens populares deste blogue

RE(CANTOS)

A QUEDA