terça-feira, 22 de março de 2011

NADA

Esta noite nada sou, nada quero, nada sinto.
A dormência invadiu-me sorrateira entre a décima sétima e a décima oitava hora de mais este dia, mais um, vivi mais um.
O vento sopra lá fora suspirando pelos cantos o teu nome, cá dentro fechado dentro da melodia que tomou de assalto o meu cérebro fico estarrecido pela minha pequenez, pela minha insignificaância.
O céu ameaça chuva, esta noite não verei a lua, esta noite sou meramente uma peça perdida de um puzzle sem solução, talvez seja isto aquilo que alguém escreveu com tinta invisível nas páginas da minha, talvez seja isto que mereça, hibernar na solidão, embalado pelo uivo do vento lá fora e pela aspereza do silêncio cá dentro.
E de mil e uma maneiras diferentes te poderia pedir desculpa, mas no entanto nem uma apenas parece capaz de fazer desaparecer toda a dor, todo o sofrimento que as minhas impensadas palavras causaram, nada acontece por acaso e talvez eu tenha de perder para aprender a amar, longe do meu egoísmo, longe das minhas ilusões, do meus sonhos por recompensa imediata.
A minha loucura cegou-me, o meu ego raptou-me, fez-me fugir da verdade, não posso agora mais do que admitir e viver com o que fiz.
Hoje sou nada, menos que nada, sou vazio, sou sofrimento, sou desilusão, sou a dor encarnada, a traição espelhada na máscara que cobre de vergonha o meu rosto.
Se calhar esta noite vou lá fora, ver a chuva, sentir a chuva, fazer com que se misture nas minhas lágrimas, pois hoje pouco mais importa, resta apenas recordar e esperar que possa viver o dia de amanhã, dia a dia, passo a passo, no fio da navalha caminho nas pontas dos dedos nunca sabendo para onde poderei cair.
Sou espantalho cabisbaixo fustigado pelo vento numa seara ardida, as minhas lágrimas fazem lama negra, a mesma onde definharei, para não mais me erguer.

Bruno:Carvalho
2011



(este texto não respeita o novo acordo ortográfico por opção do autor)

1 comentário:

Indy disse...

Muitas vezes erramos em momentos irreflectidos...
Muitas vezes nos sentimos assim, menos que nada por esse motivo...

Que o sol volte a brilhar
Que nos saibam perdoar!

:)

DON'T BOTHER

Don't mind me, just wandering around drawing circles in the air Don't mind me, nothingness is just a state of mind Don't bo...