quinta-feira, 15 de setembro de 2011

ESCOLHAS

O que nos resta do presente quando olhamos demasiado para o futuro?
Pouco.
Pouco mais que um imenso desperdício de tempo...
Estamos e estaremos para sempre ligados pelo que fazemos ou não fazemos, pelo que decidimos ou deixamos por decidir, pelo que sentimos ou deixamos de sentir.
Somos fragmentos uns dos outros, retalhos de uma gigantesca manta.
Temos medo de morrer mas também um muito maior medo de viver.
Possuímos o dom da escolha, é o que nos define. Por vezes simplesmente abdicamos livremente desse dom.
Fazer a escolha certa no momento certo sempre foi o maior desafio do ser humano.
Como nunca chegaremos a ter todos os fragmentos colados para que tudo faça sentido, simplesmente seguimos cegos. Olhando demasiadamente o futuro e desvalorizando um tempo que é unicamente presente.
Custará assim tanto fazer a escolha certa?

BRUNO:CARVALHO
2011




SUNSET OF AGE

Throne of grief
in a dying essence
crying beauty
the fettered aura

Forgotten oceans of hope
betrayed aphony
sullen laughter
in unventured paradise

As one, forever searching
for landscapes serene
amidst the sunset of age
with joyous masquerade
the summers died

Vincent O'Connell & Duncan Patterson


3 comentários:

dyphia disse...

o prazer de viver está na dedicação que temos ao hoje. o amanha logo se ve...

beijinhos amigo

Narcolepsia disse...

Eu sei como queria passar o meu tempo... com quem queria estar no presente... sem dúvidas

Indy disse...

Custa o valor que lhe damos... O futuro continua a dominar todos os nossos pensamentos e, pior, os nossos actos... O presente, esse, vai-se transformando num passado que dói...

Beijinhos

EXORCISMO

Exorciza os demónios da minha alma Os fantasmas inumanos que consomem a minha carne Liberta-me, perdoa-me. Exorciza o meu corpo com...