segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

METÁFORA

"Estou farto da minha morte!" cuspiu o Anastácio pela janela que dá para o quintal do vizinho. "Quero lá eu saber!" respondeu-lhe ele de volta eloquentemente.
A verdade é que ele estava mesmo farto da sua malfadada morte, já o tinha dito no outro dia ao Dr. Ambrósio, psiquiatra nas horas vagas, "Quero viver!" disse-lhe no mais profundo do seu deslumbramento. O Doutor conhecia muito bem casos como aquele, ao longo dos anos tinha visto muita gente viver. Disse-lhe pacientemente aos gritos "Viver não resolve nada..."
"Resolve sim senhor! Terminavam todos os meus problemas e angústias, queria apenas poder provar um pouco do seu sabor." Respondeu um sonolento Anastácio.
"Então conta-me lá. Preferias uma vida lenta ou uma rápida?" "Lenta claro! Não gosto nada de sofrer."
Anastácio passara toda a sua morte a pensar no dia em que iria viver, diziam-lhe "Morre a tua morte, não ligues a esses disparates que falam na televisão sobre a Vida."
Mas aquilo martelava-lhe constantemente a cabeça, como se o seu cérebro estivesse a ser forjado em cada momento na bigorna de um ferreiro.
Cada dia que passava o pessoal da rua preocupava-se cada vez mais com ele, viam-no a sair de casa a assobiar e a sorrir e perguntavam-se se seria a última vez que o veriam morto.
A coragem faltou-lhe inúmeras vezes mas naquele dia estava confiante que não iria falhar, escolheu bem o sítio, à beira do lago gelado esperou que alguém parasse de patinar, quando isso aconteceu acercou-se da pessoa e pediu delicadamente "Emprestas-me os teus patins?" 
Calçou os patins com pressa, demasiada pressa pois conseguiu calçá-los ao contrário, desfeito o erro pôs-se de pé e deslizou suavemente sobre o espelho gelado, sabia-lhe bem, gargalhou entusiasmado, o entusiasmo transbordou e quando deu por si encontrava-se estatelado no meio do lago, com face colada ao gelo sentiu um alívio que lhe penetrou a alma.
As pessoas à sua volta precipitaram-se para ele, entre eles um médico, aquele lago era perigoso já tinha nascido ali muita gente.
O Anastácio levantou-se e olhou para a multidão que olhava para a superfície vazia do lago, gargalhou de novo alegremente e deslizando aceleradamente gritou "ESTOU VIVO! ESTOU VIVO! Finalmente..."

Bruno:Carvalho
2012


2 comentários:

Araúja Kodomo disse...

Nice one ;) *

mariana disse...

Gostei imenso :D

DON'T BOTHER

Don't mind me, just wandering around drawing circles in the air Don't mind me, nothingness is just a state of mind Don't bo...