sábado, 3 de novembro de 2012

MUROS

Teimamos em construir muros onde não são necessários, dentro de nós...
Mantemos-nos por detrás de teclados de computador como se assim nos sentíssemos seguros e certos que isso nos guarda o segredo que está no nosso coração.
Tememos o toque, a palavra sussurrada ao ouvido, descartamos cada vez mais a cumplicidade e e amizade porque simplesmente nos esquecemos do quanto ela nos preenche.
Perdemos a humanidade pouco a pouco, projectamos nos outros aquilo que nunca fomos, inconscientes que a resposta sempre teve dentro de nós.
Não precisamos de ninguém para nos realizarmos pessoal, primeiro busquemos a nossa paz interior, só depois busquemos a paz dos outros que complementará a nossa.
Que imagens são estas que nos fazem sonhar um mundo diferente?
Que palavras são estas que nos inspiram medo e incerteza?
O calor da nossa cama nunca foi tão frio, levamos o corpo e a mente quase à exaustão a sonhar com a pessoa ideal mesmo sabendo que esta não existem, somos todos uns tolos sem asilo.
Trocamos um futuro distante e indefinido por um presente certo e coerente.
Muros com o tempo podem cair, mas as correntes que nos prendem a esse muro podem durar para sempre. Mesmo tendo a verdade à nossa frente teimamos em seguir a mentira, depois, quando nos surge o abismo a nossos pés é que nos lembramos que um dia fomos humanos, tarde demais...

A mudança à velocidade da luz obriga-nos a ter medo, a arriscar, uma vela num quarto iluminado não faz qualquer diferença, mas uma vela numa noite escura pode ser a única luz que nos impede de desistir a busca pelo caminho.
E tantas formas pode tomar essa vela...

Bruno:Carvalho

5 comentários:

Anónimo disse...

Às vezes tememos o amor, o calor na cama, a perfeição da pessoa imperfeita, a verdade, o caminho e ... essa vela que todos precisam :)

Bruno Carvalho disse...

Agradecia novamente para não deixarem comentários anónimos sinceramente não percebo a necessidade disso, não existem pessoas invisiveis, ou existem pessoas ou não existe nada, acho que já somos adultos para assumirmos o que fazemos...
Obrigado pela atenção e voltem sempre.

Anónimo disse...

Somos pessoas, mas alguns são invisíveis para quem gostariam de ser uma luz na sua vida...

Bruno Carvalho disse...

Não se pode obrigar o outro a deixar entrar essa luz, ela tem de conquistar e plenamente aceite, senão é uma vela na tempestade, apaga-se com o primeiro sopro ;)

mariana milene disse...

Quando quiser comentar, será sempre assim Bruno.

DON'T BOTHER

Don't mind me, just wandering around drawing circles in the air Don't mind me, nothingness is just a state of mind Don't bo...