terça-feira, 5 de novembro de 2013

O CORTE MAIS PROFUNDO

Não posso dormir, os sonhos atormentam-me com velhos demónios.
Como viver neles? Como escapar aos teus lábios fantasma, que ali parecem tão reais? 
Como fugir aos beijos que amadurecem a minha pele, que fazem estremecer o meu corpo? Como fingir que nunca quis o que mais quero na vida?
Quero afastar o sono porque moras em cada um dos meus sonhos, sob diferentes formas, uma adaga que que me corta o pulso, um beijo que me crava o coração, um abismo que me engole.
Por vezes distraio-me e adormeço no cansaço dos dias cinzentos, quando acordo e tu não estás ali ao alcance de um suspiro, de um olhar, o mundo cai à minha volta e eu volto à sorumbática missão de esquecer que existes, como se isso fosse possível.
No silêncio nada pacífico da mente, imagino cenários, como se a vida fosse um peça teatral e nós os protagonistas principais.
Velho louco!
Sou um velho louco, desvairado por uma paixão impossível, crucificado pelo passar do tempo.
O corte mais profundo será sempre o mais complicado de sarar.
A paz que me falta tenho-a como conflito infinito.
Impossível dormir, que me arranquem de vez os sonhos da minha alma insolente.

Bruno:Carvalho
2013


Sem comentários:

EXORCISMO

Exorciza os demónios da minha alma Os fantasmas inumanos que consomem a minha carne Liberta-me, perdoa-me. Exorciza o meu corpo com...