quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

UNIVERSO

Da névoa sobre o ribeiro

da neve sob a janela
o reflexo incontido do teu espaço
a lembrança fiel do teu abraço.


Da aspereza do Inverno 
da maquiavélica pena do inferno
a morte anunciada da esperança
o medo perene do fracasso.

Da espada cega da justiça
escorre o sangue da guerra
misturado com a prata do luar
a estranha forma de querer amar.

De lágrimas é feito o meu último verso
do meu ser só um e único Universo.

Bruno:Carvalho 

2013



segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

DELIVERANCE

My soul cries out for deliverance
Wanders across the vast plains of ignorance
Because I’m lost without a cause
I grieve for you, I cherish my loss.

Deep beneath the abyss of pain
Drowning slowly underneath the rain
The shower of ethereal blood drops
I question myself why this pain never stops.

Deliver me in the arms of faceless angels, feel me
The darkness stops me from see
The amber eyes of your heavenly face

The light and colour of this beautiful place.

Bruno:Carvalho

EXORCISMO

Exorciza os demónios da minha alma Os fantasmas inumanos que consomem a minha carne Liberta-me, perdoa-me. Exorciza o meu corpo com...