sábado, 1 de novembro de 2014

Are you the one?

Luz.
                A luz pode surgir a qualquer momento de qualquer sitio, a vida pode mudar num minuto e nunca voltar a ser a mesma.
                Existem pessoas que entram de rompante no nosso coração, sem explicação lógica, apenas um sentimento incrível de reconhecimento, como se tivéssemos conhecido a pessoa desde sempre.
                Nada acontece por acaso isso é uma certeza, portanto sei que o que sinto não é uma ilusão ou uma maluqueira de uma cabeça vazia.
                26 de Outubro de 2014, tudo mudou num minuto, conheci-te. Longe mas nem um mar imenso pode separar um sentimento quando ele é forte e verdadeiro.
                Fazes-me bem, numa semana senti aquilo que nunca tinha sentido.
                Uma pergunta se impõe, are you the one? Respondo sem dúvidas, sim és. És o meu sonho a minha felicidade desde sempre sonhada. És a minha luz, a minha esperança, o meu conforto, a minha alegria.
                Perco-me no teu olhar, nele me perco em todas as novas possibilidades que se abrem perante mim. Fazes-me forte quando fraquejo e fazes-me acreditar que consigo quando perco a fé em mim.
                Gosto muito de ti, a distância não nos irá vencer, e seremos felizes, todos nós.

Bruno:Carvalho
Novembro 2014


segunda-feira, 22 de setembro de 2014

AMORES IMPERFEITOS

               Os paradoxos da vida fazem-nos por vezes ficar confusos, como é que é possível que um sentimento que quase nos paralisa a nossa existência pode ser o mesmo que nos faz avançar?
                Não existem amores-perfeitos, a não ser flores com esse nome, talvez no mundo vegetal os amores sejam perfeitos, no nosso humano mundo eles não são de todo…
                Há dores que o melhor dos analgésicos não tira, há vazios que o maior dos ansiolíticos não consegue preencher, à fome de querer e há uma distância que nos separa, não espacial mas invisível e incompreensível.
                Fazes-me falta, já nada disso é segredo, agora quase que evito fechar os olhos, porque sinto a dor antes de ela chegar, cada lembrança nascida da minha imaginação faz-me estremecer e quando abro os olhos vejo-me de novo aqui, só, sentado na poltrona com o livro nos joelhos.
                Há sentimentos inexplicáveis, pessoas que nos parecem agarrar eternamente e segurar, mesmo que inconscientes desse facto, não há nada que as faça rés deste nosso crime, simplesmente assim é, nada na vida acontece por acaso por isso é que questionamos tudo, não te conheci por acaso, tudo há-de ter uma finalidade, não sei bem ainda qual, mas haverá por certo.
                Os mesmos pensamentos que nos fazem sofrer, fazem-nos pairar sobre o abismo, na incerteza se cairemos ou se alguém aparecerá no último instante para nos segurar.
                A esperança teima em ter um papel por demais importante nas nossas vidas, há quem a pinte de rosa, eu pinto-a sempre de cinzento, é neutral demais para ser confiável.
                A sensação de pertencer à vida de alguém, ter quem pense em nós, que sorria com os nossos disparates, que amue com a nossa distância, que deseje aquele telefonema ou mensagem é uma sensação inolvidável de felicidade e realização.
                Muito mais que qualquer valor material é o amor, qualquer tipo, que nos agarra de facto à essência da vida.
                Nascemos acompanhados, morremos sozinhos, a dor é quase sempre inevitável mas apenas nós escolhemos sofrer ou não, entre o nascimento e a morte, o que acontece está nas nossas mãos e temos todo o poder de decidir o melhor, ninguém se livra de errar e cair, mas também a ninguém é negado o poder de corrigir as coisas e de se levantar, para seguir lutando, para arriscar pois sem risco nunca saberemos se não poderíamos ter ido mais além.
                O medo é só uma ilusão, teimamos em criar medos onde por vezes não existem, são desculpas para escondermos os sentimentos que pensamos serem envergonhantes mas que no nosso âmago são o nosso orgulho, não ter vergonha de gostar de alguém por mais que um qualquer dogma criado socialmente nos faça sentir que o que sentimos é vergonhoso e proibido.
                O amor não tem barreiras mas às vezes é-nos mais cómoda pensar que é um bicho de sete cabeças e que as coisas não podem funcionar.
                Nada há mais errado que nos negarmos a nós próprios a oportunidade de sermos felizes.

Bruno:Carvalho
Setembro/14

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

LUNA

Acordei com o miar dos gatos no telhado,
A noite ia ainda jovem,
A luz lunar infiltrava-se por entre os buracos dos estores,
E eu entre a vigília e o sono ancorava no esquecimento.

O teu corpo ao meu lado transpirava emoções
Dos meus lábios brotavam sabores diversos, fantasias suspiradas
Os amores soprados por quimeras perdidas
Embriagado pelo teu olhar, afoguei-me no teu sorriso.

Virei o corpo no mar de pétalas espalhadas nos lençóis
A luz das velas marejava o silêncio tranquilo
No copo o vinho tornou-se rubi,
Cor de sangue do fogo que nos consumia

Naquele abraço eterno alimentei as chamas
A nossa solidão, uma ferida curada pela noite
Da primeira luz derramada alimentei o prazer
Do primeiro sangue oferecido alimentei a desgraça

E quando ambos metal e carne se encontraram
Beijei os teus lábios e provei a morte
Rasguei o véu, abri o estore, deixei a lua entrar
Da luxúria do desejo desabrocharam cumplicidades

Amarrei a saudade à cama
Os gatos já não miavam
Luna havia partido

E ambos metal e carne suspiraram um último adeus.

Bruno:Carvalho


quarta-feira, 13 de agosto de 2014

DE TI

Sempre gostei de ver as tuas fotos, talvez porque ao olhá-las assim tão ferverosamente achasse que pudesse sorver toda alegria dos teus sorrisos, como se ao tocá-las te tornasses mais real e estivesses tão perto que te pudesse abraçar.
                Confesso não ser fácil lidar com esta distância tão próxima mas ao mesmo tempo longa, como se a linha do canteiro de flores do jardim fosse tão grande como um abismo e que aos poucos se afastava. Pois é, não é nada fácil querer-te assim em mim e ao mesmo tempo perder-te desta maneira.
                Ao tempo o que é do tempo, embora o meu tempo tenhas sido tu, e os anos falam por si, como se a primeira luz da manhã fosse a vela ao lado da nossa cama, o pardal no beiral a música baixinha no escuro e a relva do quintal os nossos lençóis.
                Lembro-me de te querer como fogo que precisa de oxigénio para crescer, lembro-me de te amar como a mulher, a única mulher que alguma vez fez sentido na minha vida.
                O primeiro beijo é sempre o mais apetecido e aquele nosso naquele jardim à beira rio foi tão inocente quanto delicioso, é bom, quando do nada e sem qualquer expectativa surge o tudo e a plenitude. Sim, lembro-me do teu beijo.
                Lembro-me também das tuas palavras feitas de doçura tão fervente, palavras cândidas escritas em papel de seda, e desenhos como tatuagens que marcam a pele do poeta sonhador que sou eu.
                A esperança, ah essa desdita lembrança de a ter, quando a tenho, tenho-te, quando a perco definho lentamente no fio escarlate que corre nas minhas insónias.
                Noites mal dormidas entre sonhos teus e acordares de vazio, o teu corpo no meu num sonho febril e o meu acordar a abraçar o vazio.
                Confesso que para mim o tempo não passa e a eternidade nunca será demasiada para esperar-te, amar-te não me faz mais velho ou mais esquecido é algo que vive comigo há tantos anos…
                Pois é minha querida, como uma lembrança aquele coração envolto em rosas, uma marca no peito que sobrevive ao desânimo.
                Lembro-te ainda porque esquecida não estás, espero-te meu amor porque a ferida ainda transborda de sangue e a distância ainda não conseguiu cicatrizar o que a paixão provocou.

Bruno:Carvalho

quarta-feira, 6 de agosto de 2014

A LADRA DE SUSPIROS

Roupas rasgadas, corpos dançantes num quarto docemente iluminado pelas chamas trémulas de mil e uma velas. 
Um suspiro disfarçado de êxtase, o meu corpo colado ao teu, como se de um só te tratasse, lençóis a voar no espaço vazio.
Somo nós ali, eu embriagado pela tua beleza, tu ciente desse teu poder sobre mim, um feitiço, uma palavra e o meu corpo desfalece…
Lembro-me do mel, do mel a escorrer-te entre os seios, pela barriga, rodeando o umbigo e depois escorrendo mais abaixo onde eu sofregamente o apanho com a minha língua carente, tudo isto antes de desfalecer e a minha vontade se estilhaçar em mil e um pedaços.
Os teus cabelos de luar, varrem-me as palavras da boca, como se de repente ficasse mudo, preso no teu olhar, e o teu sorriso lá, tão teu, tão nosso.
Eu e tu, numa dança incessante de prazer, paixão contida durante anos finalmente libertada, e testemunhas, apenas as velas, os lençóis, as paredes e os anjos que velam os nossos corpos fundidos.
Suspiro, atrás de suspiro, sinto que mos roubastes todos, no entanto tantos ainda tenho para te dar, e beijos, e loucuras, e sôfrega paixão e inocente atracção.
Amanhece, um sol pálido de verão e deixas-me de novo, cansado, saciado, impotente… Adormeço, pois logo volta a noite e outro sonho febril me trará a minha doce ladra de suspiros incontidos.

Bruno:Carvalho 



segunda-feira, 28 de julho de 2014

À DISTÂNCIA DE UM PENSAMENTO

        "Perdi-me em ti na beleza dos teus olhos, na serenidade do teu sorriso. Fiz do teu corpo abrigo.
Fiz-me guardião do teu destino, prometi estar lá, nos momentos em que tudo se torna escuro, prometi não desistir, secar as tuas lágrimas, beijar os teus lábios…
No silêncio da noite, aprendi a reconhecer-te, a saber que nada poderia ser diferente. Aprendi os teus movimentos em mim e a reconhecê-los como uma dança coordenada, acompanhada do bater de dois corações perfeitamente compassados.
Estilhacei a ilusão para te fazer acreditar que não sou uma ilusão. A mão que te ampara é real, os dedos que percorrem o teu rosto são reais, os lábios que naufragam nos teus são feitos de verdade, paixão e amor.
No berço do teu colo encontrei a paz prometida, a melodia das tuas palavras, a suavidade da tua respiração. Fechei os olhos e sonhei com um mundo nosso, um mundo perfeito.
Fundi a minha vontade na tua para te salvar do medo, peguei nas tuas mãos e ergui-te acima da mediocridade deste mundo que, simplesmente não te compreende.
Fiz de ti a minha cura. A vontade de ser maior do que um pálido reflexo de mim. Contigo aprendi a valorizar o tempo, a viver cada minuto como se do último se tratasse.
Tornaste-te a minha noite, o meu conselho, a minha companhia, a certeza da salvação, derrubaste todas as barreiras interiores e tornaste-te igual a mim. Reconheceste a minha verdadeira face, sem máscaras sem preconceitos mundanos ou desejos agrilhoados pelo medo.
Libertaste-me, meu amor, minha musa renascida, meu anjo de paz…
E eu fiz-me teu, perdi-me em ti.
Alimentaste os meus sonhos, agora alimento a tua realidade, pois eu estou além de qualquer ilusão, sonho ou medo, basta que me toques no peito e sintas o meu coração bater.
E vê no meu rosto as lágrimas cair, lágrimas de alegria, testemunhas de um sentimento maior que as palavras.
E, aqui estou eu, à espera. E aqui estarei sempre, à distância de um pensamento."

Bruno Carvalho


segunda-feira, 7 de julho de 2014

CABELOS DE VENTO

Sonhei com os teus cabelos cheios de vento
Na brisa matinal senti a ponta dos teus dedos
Percorrer a minha pele ansiosa e suada
Senti-te no meu despertar, na minha aurora

Sonhei com um amor disperso nos lençóis
O meu corpo amarrado nos teus braços
A janela aberta corrompia a minha confiança
O vazio convidava a uma nova queda

Mas senti que tu me tocavas mesmo longe
Tão perto de sentir a paixão
Levantei-me com uma sensação de perda
O teu corpo desapareceu na frescura de mais um dia

Então percorri os passos que me levavam a ti
Ansioso pela chegada da noite
Para me afogar de novo no teu contentamento
Para me sentir de novo perdido em ti

Sonhei os teus cabelos feitos de vento
Sonhei os teus lábios feitos de paixão
Sonhei o teu corpo feito esperança
Acordei sozinho, despedaçado em lágrimas

Bruno:Carvalho


domingo, 6 de julho de 2014

NEVER MEANT TO HURT YOU

I didn’t meant to hurt you
I never meant to care
And now as the night falls
I must regret what I’ve done.

In winter my heart turned to stone
Cold and senseless to the world
I wanted distance but only got pity
I wanted love but only got pain.

Now, it’s time, I must heal my wounds
Forget the hate, cherish my pain
Now it’s peace all I ask
No more regret, I drop my mask.

I never meant to hurt you
But sometimes words unspoken
Are the only words are true
Sorry dear, I only gave you the worst of me.

Bruno:Carvalho

TER-TE ASSIM EM MIM

Os pensamentos fazem-me cócegas no cérebro, as palavras jorram ansiosas dos meus dedos para te descreverem com todas as consoantes e vogais do meu alfabeto rústico, e há aquela sensação de te ter assim em mim despida de sensações, de te ter assim em mim despida de sensações olvidadas pelo mundo, dispersas no tempo, e tenho-te assim em mim cravada como uma lembrança, exposta às agruras do tempo.
         Passo a passo.

         O compasso dá o ritmo para a minha explosão interior e a alma liberta-se pois a alma é a essência da existência, vivo a minha alma, respiro a minha alma pois ela é tudo o que sou e eu tenho-te assim em mim colada à alma e pendurada no coração, o amor consome a minha razão, mas lentamente desperto para esta realidade incoerente de te ter assim despojada de ambições desmesuradas, simplesmente tu e a tua inane bravura de me despedaçares com o olhar e me voltares a juntar com um beijo.

Bruno:Carvalho


I found you
In the dark
I found you
In the dark

Don't leave me
Here
Don't leave me

Staring at the sun
A love so strong it hurts
Staring at the sun
A love so strong it hurts

I dreamed of you
In the dark
You spoke to me
From afar
What you mean to me
Is clear
And I'll always be near

I found you
In the dark
I found you
In the dark

Don't leave me
Here
Don't leave me

Staring at the sun
A love so strong it hurts
Staring at the sun
A love so strong it hurts

I look into your eyes
See my life defined
Look in to your eyes
See your heart in mine

domingo, 22 de junho de 2014

RAIOS DE LUZ

Raio de luz nº1
            Escutei atento, uma voz no silêncio, pensava viver um sonho mas percebi que tinha alguém a velar por mim alguém que não via mas que me prometeu que estaria sempre comigo.

Raio de luz nº2
            Quando pensei que tudo estava perdido vi a tua face reflectida na água, tu, a minha estrela brilhante numa noite de lua nova e ouvi a tua voz doce que me despertou os sentidos e então soube que nunca tinha estado sozinho, que a minha pele ainda tinha a marca dos teus lábios e o calor do teu toque, então adormeci na paz daquela surpresa…

Raio de luz nº3
            Cada passo que dava parecia que o caminho se estreitava rumo ao abismo e ao esquecimento, as pegadas que deixava na areia eram apagadas pela maré, a escuridão apertava cada vez mais, mas eis que naquela obscura noite de solidão vi uma figura que brilhava ao longe, uma jovem mulher inundada de luz, olhos de anjo e face de luar, cabelos ao vento e palavras doces de mel, quando fixei o seu olhar soube que era a minha amada, seguiu-me aquele lugar para me guiar à luz e então soube que o meu coração batia assim com força porque o meu amor era difícil de conter…

Raio de luz nº4
            … por isso deixei-o fluir, dei comigo a sonhar as curvas do teu corpo naquela praia de areias brancas onde escolhi o meu desterro, a minha viagem de aprendizagem, enterrei os meus medos para relembrar o desfrute da tua paixão, a tua figura desapareceu mas eu sabia que voltaria a encontrar-te por isso continuei firme naquela busca pelo meu verdadeiro eu e parti rumo a Sul onde as águas cristalinas iriam purificar a minha alma.

Raio de luz nº5

            Abracei-te naquele momento em que o dia se fez escuridão, afaguei o teu cabelo, sussurrei-te ao ouvido que o dia voltará a nascer, que está tudo bem para além deste momento de cansaço. Acordei inquieto, abraçava unicamente o vazio, mas sabia que eras real pois ainda sentia o teu perfume e mesmo longe estás sempre aqui e nada pode correr mal…

Bruno:Carvalho

sexta-feira, 20 de junho de 2014

O MOMENTO É AGORA

E foi assim que se passou, entre uma noite mal dormida e um dia despido de ansiedades. Um beijo por si pode dizer muito, mas muito mais diz um beijo encaixado num olhar.
Tudo pode ser confuso, mas no caos há sempre uma coisa chamada esperança, teimamos em não a perder, acima de tudo porque o nosso instinto nos impele a continuar mesmo que pareça quase impossível.
Com o passar do tempo pensamos ser mais sábios, contidos e racionais, mas nisto o tempo em nada tem influência, basta introduzir o elemento Amor à equação e fica tudo baralhado, nada mais parece ter sentido, a linha entre o que é certo ou errado torna-se ténue e frágil.
Amados, amantes, parecemos amarrados a uma dor que se mistura com a incerteza do dia seguinte, só o presente existe e mesmo este num segundo transforma-se em passado.
Por mais que tentemos decifrar um olhar, uma palavra, um beijo, uma frase ou uma flor, nada nos prepara para beleza do sorriso dado espontneamente, na sua imediatez reside comprimida todo um sentimento que é impossível esquecer.
E mesmo que o tempo passe nada nos ajuda a ultrapassar algum que só ao coração diz respeito, nem a razão nem a moralidade estéril do certo ou errado.

Bruno:Carvalho
06/2014


sexta-feira, 13 de junho de 2014

PÂNTANO

É a tua vez de jogar.
Movimenta as peças no tabuleiro, refaz a estratégia.
Um novo jogo começa não necessariamente onde o outro terminou…
Não existe antídoto para uma vitória, dispostos no terreno somos meros reflexos jamais sonhados, nunca planeados, pensamentos destroçados ao sabor da vontade própria.
Do alto da nossa presunção pensamos que nos movemos confiantes, que aquele é o passo mais certo a dar a seguir ao outro anterior que nos pareceu algo dúbio.
E ficamos de alguma forma invadidos, o nosso corpo como território selvagem desbravado por invasores, descobridores da nossa natureza, nesse momento o amor fica ali, pairando como um fantasma esquecido no campo de batalha.
Um dado novo, uma nova constante entra na equação.
Estarrecidos por aquela nova revelação ficamos inconscientes de que todo aquele novo sentimento nasceu de facto da crueldade daquele sabor amargo que sentimos por vezes na boca e não de qualquer gesto altruísta.
Movemo-nos mais facilmente no pântano que se tornou a nossa insignificante vida, por isso aqui continuamos afundados, ignorantes que ali ao lado, à distância de um pequeno passo, corre um rio solto, em forma de sorriso, em forma de palavra atirada descontraidamente sem qualquer outro objectivo ou sentido a não ser o de expressar carinho.
Ali ficamos felizes por estarmos longe da corrente, sem sabermos que somos feitos de corrente, de tempestade, de mutabilidade.
Podemos ser um momento no tempo, uma carcaça com prazo de validade, mas o que nos preenche, o que somos de verdade, não tem validade, não é um momento no tempo mas todo o tempo.
E que chegue depressa o Inverno que os céus desçam em forma de tempestade, para que a lama endurecida pelo sol possa ser dissolvida e nos liberte, pois o jogo recomeça a cada derrota e com o cheiro da terra molhada nota-se já um suave aroma a vitória.

Bruno:Carvalho



domingo, 9 de fevereiro de 2014

RE-CONNECT

It's time to re-connect with our true selves
It's time to heal, to return to the essencials
It's time to walk, not to fall
It's time to laugh, not to cry

Because there's beauty within you
Because there's light in your life
Because we are one and as one we shall win
Because all it's energy and energy it's another form o love

So my friend, love at your will
Be yourself you are not a copy
You're one of a kind
Express yourself freely but don't lose yourself in despair

Avoid been caught in the void
And make your life worthy
There's only one life, only one chance
Be free, fly free.

Bruno:Carvalho
2014

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

SORRISO

Hoje vi-te.
Vi a beleza frágil do teu olhar a cruzar-se com o meu, vi o sol que refletia no teu cabelo tornando aquele quadro bucólico ainda mais cheio de cor.
Não pude conter um sorriso.
Às vezes um minuto muda mesmo uma vida, muda uma perspectiva cinzenta para uma enorme paleta de cores, muda um espírito inquieto, molda-o ao sabor da intensidade de um olhar, mesmo sem palavras proferidas, mesmo sem explicações dadas, muda porque dele se retira uma força maior.
Hoje vi-te,  segura, reencontraste o sorriso, aquele teu sorriso tão sincero e descontraído.
É impossível ser fácil dizer adeus, mas tu deixaste que o tempo levasse a mágoa e agora brilhas de novo e contigo os meus olhos, o meu sorriso brotou de novo trazendo com ele uma torrente de sentimentos bons.
Sinto agora que já nada temo, passo a passo, procuro força para endireitar o caminho que ameaçava tornar-se estreito e íngreme.
Hoje vi-te, novamente apercebi-me de quanto a vida é bela, esse facto fez-me sorrir a sério, um sorriso, quase riso, gargalhada incontida de uma alma há muito aprisionada.
Aproximei-me, ousei aproximar-me, pois parecia de facto impossível fugir ao magnetismo do teu renascido olhar, fitei os teus olhos, aqueles poços de beleza a transbordar serenidade.
Quando afloraste aos meus lábios com um beijo suave, suspirei e com toda a calma e certeza do mundo sussurrei...

Amo-te.

Bruno:Carvalho

domingo, 5 de janeiro de 2014

END OF THE ROPE

Será assim que tudo vai terminar? Eu perdido num mar de ilusões, ofuscado pelo meu orgulho? Perdido num oceano de incertezas...

                Terminará tudo assim? 
Uma faca nas mãos e o corpo balhado em sangue?...


EXORCISMO

Exorciza os demónios da minha alma Os fantasmas inumanos que consomem a minha carne Liberta-me, perdoa-me. Exorciza o meu corpo com...