SORRISO

Hoje vi-te.
Vi a beleza frágil do teu olhar a cruzar-se com o meu, vi o sol que refletia no teu cabelo tornando aquele quadro bucólico ainda mais cheio de cor.
Não pude conter um sorriso.
Às vezes um minuto muda mesmo uma vida, muda uma perspectiva cinzenta para uma enorme paleta de cores, muda um espírito inquieto, molda-o ao sabor da intensidade de um olhar, mesmo sem palavras proferidas, mesmo sem explicações dadas, muda porque dele se retira uma força maior.
Hoje vi-te,  segura, reencontraste o sorriso, aquele teu sorriso tão sincero e descontraído.
É impossível ser fácil dizer adeus, mas tu deixaste que o tempo levasse a mágoa e agora brilhas de novo e contigo os meus olhos, o meu sorriso brotou de novo trazendo com ele uma torrente de sentimentos bons.
Sinto agora que já nada temo, passo a passo, procuro força para endireitar o caminho que ameaçava tornar-se estreito e íngreme.
Hoje vi-te, novamente apercebi-me de quanto a vida é bela, esse facto fez-me sorrir a sério, um sorriso, quase riso, gargalhada incontida de uma alma há muito aprisionada.
Aproximei-me, ousei aproximar-me, pois parecia de facto impossível fugir ao magnetismo do teu renascido olhar, fitei os teus olhos, aqueles poços de beleza a transbordar serenidade.
Quando afloraste aos meus lábios com um beijo suave, suspirei e com toda a calma e certeza do mundo sussurrei...

Amo-te.

Bruno:Carvalho

Comentários

Anónimo disse…
Está ótimo, é bom ter algo para ler, tão bom.
parabéns bruno!
Araúja Kodomo disse…
Muito, muito bom ;)

Mensagens populares deste blogue

RE(CANTOS)

A QUEDA