domingo, 19 de abril de 2015

MEIA-LUZ

Aqui sentado a ver-te dormir, à meia luz desta manhã, perco-me na imensidão do pensamento, como conter tudo o que sinto, como abarcar tudo o que quero e não posso ter...
Abraço-me, um frio estranho estremece-me, apesar do sol primaveril... Fecho os olhos, em sonhos nunca te perco de vista e tenho-te sempre perto...
Sei que é momento de partir, levanto-me tipo sonâmbulo, embriagado por um sentimento que sei ser maior que tudo que alguma vez senti.
Dou-te um beijo na testa, sorris no teu sono tão pacífico, estás longe no teu próprio sonho, não consigo conter uma lágrima, mas no fundo sorrio também contigo.
Guardo como uma marca feita de fogo no meu coração, o teu olhar feito de verde maresia, o teu beijo feito de petálas de rosa, o teu cheiro feito de incenso...
Até logo meu amor, até ao nosso reencontro, num novo sonho, numa nova noite inundada de luar, preenchida por fios de luz de uma intensidade imortal.
A saudade não vencerá, o desânimo não me levará de novo, sou teu, alma e carne, sangue e emoção...


Bruno:Carvalho
Abril 2015



Sem comentários:

DON'T BOTHER

Don't mind me, just wandering around drawing circles in the air Don't mind me, nothingness is just a state of mind Don't bo...