sexta-feira, 31 de julho de 2015

PALAVRAS NO SILÊNCIO

Passo as mãos pelas curvas do teu corpo marcadas nos lençóis
A memória de um beijo despojado nos meus lábios
A esperança cravada no teu olhar,
O doce murmúrio das tuas palavras no silêncio
                 
A noite despedaça-se em mil fragmentos de silêncio
As estrelas colidem em gritos de desejo nos teus olhos
Fico firme agarrado a doçura do teu beijo
Trago o seu sabor marcado na minha pele

Desvendo o sonho, largo a fantasia ao ritmo do coração
Dispo-me da frágil condição de triste sonhador
E liberto-me nas ondas confortantes do teu desejo
Aqui onde mora a incerteza, mora o consolo da paixão

Abro a janela, deixo a lua espreitar
Neste instante parado no tempo
Neste abraço há mil anos esperado
Mergulho na bravura inane do teu olhar

Bruno:Carvalho

terça-feira, 28 de julho de 2015

STILL STANDING

Desilusões, umas atrás das outras... Nem olhar as estrelas, nem sonhar, nem confiar, nos livram delas... 
Vale a pena confiar? 
Não!
Não vale a pena, nada vale a pena, parece que quando o mundo nos deita abaixo existem mil pessoas em cima do mesmo, para se certificarem que ficamos definitivamente lá no fundo...
Não devemos nada a ninguém, a não ser a nós próprios... Iludimos-nos ao pensar que por vezes alguém se importa com a nossa insignificância...
O que há no fim do que nós resta?
NADA!!!
Resta-nos esperar que a MORTE nos alcance, e que bela é a sua serenidade e promessa de paz...

Bruno:Carvalho
Julho 2015

Hater, hater this is for you!!!!
I'm still standing!!!

domingo, 26 de julho de 2015

FLOODING


                                                         "The Flood"
                                                        
                                                        Tie me down

                                                    If I reach for sunlight
                                                           Lift me up
As I scrape the ground

Cut my cord
While you see me climbing
Let me drop
To where I won't be found

Stay with me now when I'm falling
Drown me when I reach for air

Leave me broken
While my spirit shatters
Unchain me
When I drown in shame

Blindfold me
When I search for an answer
Help me see
   If I've played your game

          LEPROUS     
   

AMANHECER EM TI

As minhas noites passam-se entre murmúrios
E recordações fugazes de momentos incertos
Em espaço vazio, lamento o desperdiçar do tempo
À espera do terno amanhecer em ti

A janela aberta, a solidão entra sorrateira
Ciente do destino frágil da carne
Um desejo invisível que arde na pele
Um desejo moribundo marcado nos lençóis

As minhas noites fazem-se de lamentos inquietos
A Voz clamada em franco desespero
Um grito sufocado por anos de esquecimento
Preciso de despertar, de renascer em ti

O meu amor, a minha consolação despejada no vazio
Agarro-me à última luz de um dia que demorou a passar
Volta agora o sonho, a esperança descarnada
Amanhece em ti a miragem do meu corpo.

Bruno:Carvalho

quarta-feira, 15 de julho de 2015

DIAS DESERTOS

Em dias desertos
De medos despertos
Em quartos vazios
Desolados e frios
Em ruas paradas
Com luzes apagadas
Em corações sozinhos
De emoções despidos
Naqueles momentos sombrios
Quando os movimentos se tornam esguios
Dorme o meu amor
A minha angústia e dor
Cresce a minha paixão
No meio de tal desolação
Em minutos inconsequentes
Crescem desejos omnipresentes
Solto um beijo na escuridão
No regaço ausente da ilusão.

Estou só no deserto da vida
Espero vazio pela paz merecida

Bruno:Carvalho

terça-feira, 14 de julho de 2015

LUZ

Sabem aquela sensação de estar no fundo do poço, de sentir tudo à nossa volta desmoronar-se, sentir as correntes que nos prendem a uma solidão sem fim?
Saberão por certo aqueles que passaram ou passam por isso...
Passar todos os dias a desejar ardentemente por um pouco de luz, uma esperança que nos impeça de cair no abismo, algo para lutar, para sonhar e ambicionar.
Os que sabem isto tudo também sabem que por vezes essa luz acaba por aparecer, normalmente da forma mais inesperada possível, pode vir de um sorriso, de uma flor, de uma música, de um poema, ou de uma pessoa totalmente desconhecida com um par de fotos e um nome na tela de um computador.
Mergulhar no desconhecido agarrado a uma pequena esperança, pode fazer milagres numa alma brutalizada pelas agruras do desespero.
Ganha-se força, sabendo que algures está alguém a sentir o mesmo que nós, mesmo longe, impossível deixar de sentir que está perto, basta palavras de consolo e compreensão.
Por muito que escrevesse agora nunca daria para descrever o sentimento de reconhecimento de duas almas perdidas buscando a mesma coisa na vida, sentido para a mesma.

Por isso agradeço-te Sofia, por a pequena luz ao fundo do túnel que me deste...

Bruno:Carvalho
Julho 2015

sexta-feira, 10 de julho de 2015

DIFÍCIL

É difícil olhar para trás e não conseguir encontrar a altura em que te perdi e com isso me perdi a mim mesmo.
O tempo avança e tento manter-me à tona, viver o presente, enterrar o passado e esperar que haja um futuro, mas não é fácil esquecer algo com o que se viveu tanto tempo...
É difícil escolher as palavras certas para os momentos certos, tantos erros, tanta coisa mal dita, tanto grito sufocado na garganta. 
É difícil não desistir apesar de tudo parecer contra ti, dizem que o amor é o maior sentimento e que o tempo tudo cura, mas então porque estou assim perdido, à deriva num navio sem velas, vagueando ao sabor das marés.
É difícil dormir, quando te sonho apenas a ti, todas as outras noites perdem na obscuridade de um amanhecer encoberto.
É difícil evitar chorar quando vejo o teu sorriso, como uma flor que desabrocha numa manhã de Primavera inconsciente da beleza que ostenta.
Tudo me resta é apanhar os pedaços do que sobrou de mim e tentar colá-los com a pouca força que me resta.
Difícil deixar-te para trás, lá no indistinto passado, quando tu és eterna e intemporal.
É aquele sentimento de arrebatamento, quando caminho pela floresta e respiro o ar livre da manhã, o mesmo acontece quando passas por mim e o teu perfume entranha-se sob a minha pele, e os teus cabelos se tornam uma vela desfraldada na liberdade, a vela que pode levar o meu navio a bom porto...
Sou eu, apenas eu, com tudo o que faz ser quem sou, defeitos, imperfeições, desilusões, sonhos e desejos.
Deixa-me voltar a ser eu para voltares a ser eu.
Deixa-nos ser um só...

"We belong together"

Bruno:Carvalho
Julho 2015


quarta-feira, 1 de julho de 2015

O DESEJO

Desejei adormecer naquele teu abraço
Todas as palavras omitidas levadas pelo vento
Desejei parar o tempo na doçura do teu olhar
A marca dos teus lábios marcada na minha pele

A desesperança deixada pelo passar do tempo
Oculto-me na sombra do teu último adeus
Ecos perdidos na minha noite vazia
O eco das tuas palavras desenhado no meu silêncio

Desejei perder-me no labirinto do teu coração
Absorver a loucura do teu desejo emergente
A tua pele sob a minha mão, ardente e faminta
O desejo a implodir no meu corpo

Desejei não mais desejar a sanidade que me prende
Quis libertar-me no céu varrido pela tempestade
Fiz-me relâmpago para iluminar aquele segundo moribundo
Explodi na voz do trovão para rasgar o véu da pureza

E caí rumo à terra, ao abraço carnal do teu prazer
No limiar do êxtase fiz-me abismo para jamais parar
Na cadência do bater do teu coração fiz-me dança e canção
Na leveza do teu sorriso, fiz-me poeta para te declamar.

Bruno:Carvalho




UM BERÇO DE ESTRELAS

Vejo-te sorrir nos meus sonhos
Passas alegre nas asas do tempo
Afundo-me na profundidade dos teus olhos
Embalado pela doçura do teu beijo

Acordo mergulhado na frescura da manhã
Lençóis espalhados pelo chão
Vítimas de uma dança invisível
Testemunhas fiéis da força do amor

E ali fico maravilhado pela tua beleza
Extasiado pela marca dos teus lábios na minha pele
E ali fico feliz, ancorado na tua paz
À espera da próxima noite

Chega a noite, nasce a lua num berço de estrelas
Prendo o teu perfume no meu rosto
Seguro a tua mão e de novo o tempo pára
Prendo o teu amor no meu coração.

Bruno:Carvalho

EXORCISMO

Exorciza os demónios da minha alma Os fantasmas inumanos que consomem a minha carne Liberta-me, perdoa-me. Exorciza o meu corpo com...