BLEAKNESS

Teimo em acordar vivo, como se a vida fosse uma maldição entranhada na pele.
Sem objectivos, sem sentido ou perdido no caminho, direcções demasiado confusas, ofuscadas por uma escuridão permanente, uma escuridão muito maior que a luz mais brilhante.
Teimo em acordar dos sonhos, mesmo que estes sejam mil vezes melhores que a realidade, mesmo que por vezes sejam pesadelos...
A minha alma grita mas nenhum som se ouve neste quarto vazio... As lágrimas teimam em não lavar nada, as desilusões, os erros, a culpa, o passado demasiado pesado para poder carregar sobre os ombros, continuo a cair como se doesse estar vivo, como fosse um pesadelo respirar...
Todas as noites espero adormecer para sempre, que melhor fuga, para esta maldita tentativa de existir.
Amaldiçoado, abandonado, despedaçado no vento da manhã, acordo para mais um dia igual a todos os outros...
E o meu prazo de validade aproxima-se, cada vez mais violento, cada vez mais impossível de ignorar a cada estremecimento do meu corpo desfigurado, um navio naufragado demasiadamente perdido para ser salvo.
E nesta hora mais negra da minha existência nem o Amor me pode salvar, deixo-vos em assombros de beleza, um eterno adeus marcado numa página em branco...

Bruno:Carvalho
Agosto 2015

"It's a shame you won't live. But then again, who does?"

Comentários

Mensagens populares deste blogue

RE(CANTOS)

A QUEDA