O PESO DO SILÊNCIO

Quando o peso do silêncio nos cai sobre os ombros obrigando-nos a vergar e encarar o chão com a amargura do passar dos minutos, chegamos à conclusão que por mais que sonhemos num futuro mais brilhante e esperançoso, isso não vai chegar...
Nessas horas mais negras em que nem o brilho belo da lua é suficiente para nos lavar a mágoa da alma, tudo se torna claustrofóbico e as paredes parecem fechar-se sobre nós, sufocando-nos, impedindo-nos de libertar as asas e escapar à prisão interior, aquela que nos prende mais, que não nos deixa ser felizes e sermos nós próprios...
Por vezes o preço de um sorriso é demasiado caro, por vezes o preço do amor é demasiado grande para podermos pagar, aí resta-nos a dor e o seu abraço eterno.

Bruno:Carvalho
Agosto 2015

Comentários

Mensagens populares deste blogue

RE(CANTOS)

A QUEDA