sábado, 16 de abril de 2016

FROM WITHIN

Não tenhamos medo dos corpos que nos encerram, das linhas que nos definem, ou dos julgamentos aos quais somos sujeitos.
Libertemos-nos, sejamos livres de nos aceitar, da forma como somos, forma, feitio, altura, religião, ideologia... aceitemos-nos como somos cada um com as suas particularidades, por vezes bastante vincadas outras de formas subtis...
O que nos sustêm é o amor, por isso amemos, mesmo que os espelho nos tente convencer do contrário, aceitemos quem nos ama com a mesma força que aceitamos quem nos amará, sem julgamentos ou ideias feitas, sejamos nós sem nunca nos vendermos, todos temos o direito de amar e ser amados, vivamos portanto.


Bruno Carvalho
2016



EXORCISMO

Exorciza os demónios da minha alma Os fantasmas inumanos que consomem a minha carne Liberta-me, perdoa-me. Exorciza o meu corpo com...