terça-feira, 5 de setembro de 2017

EXORCISMO

Exorciza os demónios da minha alma
Os fantasmas inumanos que consomem a minha carne
Liberta-me, perdoa-me.

Exorciza o meu corpo com o fogo do teu olhar
Junta o que há muito foi destruído
Completa-me, forja-me.

De nada tudo e do nada a eternidade
Fontes luxuriantes de vida em terras de morte
Faz-me de tão pouco tanto.

De esperança ouvi falar
Nada de cor tudo de sabedoria
Como a flor que naufraga em tão linda melodia.

E nasce comigo na manhã do meu ser
Como o orvalho se forma com o amanhecer
Sê tudo ou nada mas sê.

Bruno:Carvalho
Setembro/17

MARILYN

MARILYN Walking through, slipping through Crumbling along the ember valley It was I drifting among the sorrows Avoiding the sword...